MÍDIA NEWS

Panamby Perspectivas - 08.11.21 O resumo dos acontecimentos importantes dos próximos dias em minutos

Por Tatiana Pinheiro, economista chefe e sócia da Panamby Capital


Bem-vindos ao Panamby Perspectivas,


As últimas semanas marcaram uma mudança de ventos na política monetária global. As pressões inflacionárias intensificaram as discussões sobre normalização nas economias avançadas, levando os mercados apostarem em alta de juros ao longo de 2022.


Na semana passada o FOMC seguiu o seu plano de voo anunciando a retirada dos estímulos já em meados de novembro. O programa prevê a redução mensal de $15 bilhões. Mantendo este ritmo, o Federal Reserve encerra o programa de recompra de ativos de longo prazo em junho e tem o segundo semestre de 2022 para avaliar o processo de normalização de juros.


Fica cada vez mais claro que os países terão que fazer ajustes em suas políticas macroeconômicas, em maior ou menor grau, e que os emergentes terão que arcar com os seus ajustes e com as consequências dos ajustes dos países ricos.


O Brasil, como a maioria dos emergentes, já está apertando juros. A ata da última decisão deixou clara a preocupação com a aceleração inflacionária recente e os riscos fiscais sobre a trajetória da inflação em 2022. Afinal de contas, o IPCA saltou 5,7 pontos percentuais neste ano e a pressão inercial sobre a formação dos preços é expressiva. Tanto que projetamos IPCA em 5% no ano que vem. Esperamos que o COPOM eleve a Selic para 11%, com alta de 150 pontos em dezembro, seguida de uma alata de 100 pontos em fevereiro e 75 pontos em março.


Fique de olho na agenda desta semana:


No Brasil teremos a divulgação do IPCA de outubro e a inflação anual deve continuar em alta. Também mais dados sobre a atividade no terceiro trimestre, varejo e serviços, darão melhor indicação sobre o PIB. Esperamos que o terceiro trimestre registre crescimento na variação trimestral, mas aumenta a desconfiança de que o terceiro trimestre repita o resultado negativo do segundo, caracterizam recessão técnica.


China divulgara os dados de exportações e importações de outubro. Esses indicadores tem influencia no mercado de commodities.


Nos Estados Unidos será divulgado o CPI (inflação ao consumidor) de outubro.


Boa semana e bons negócios!